... ...
o que é análise fundamentalista e como aplicar o que é análise fundamentalista e como aplicar

Guia sobre análise fundamentalista: o que é, como fazer e muito mais!

7 minutos para ler

Se você já entende um pouco sobre investimentos e quer avançar alguns passos para tomar as decisões corretas, então precisa conhecer a análise fundamentalista.

Esse tipo de análise é muito importante para quem deseja saber onde e quando investir seu dinheiro. 

Neste artigo, você vai descobrir como dados e informações concretas podem te ajudar a tomar decisões mais inteligentes na hora de investir. Confira!

O que é análise fundamentalista?

Vamos começar explicando o que é a análise fundamentalista para você que está interessado em estudar mais as ações e o mercado financeiro. 

Análise fundamentalista é uma ferramenta que entende e estuda os fundamentos econômicos e financeiros das empresas, como Balanço Patrimonial, Fluxo de Caixa, Ebitda, ROE, Dividend Yield e P/L.

Esse estudo financeiro ajuda o investidor a entender como está a situação financeira e operacional das empresas que possuem ações na Bolsa de Valores. 

Dessa forma, o investidor consegue descobrir se é interessante ou não investir seu dinheiro em determinadas ações na bolsa. 

Essa análise consegue indicar quais os fatores que podem afetar positivamente ou negativamente o desempenho das empresas e, consequentemente, o valor das ações.

Como surgiu a análise fundamentalista?

A análise fundamentalista, criada pelo economista, estudioso e investidor americano Benjamin Graham, descobriu que o preço de uma ação deve refletir a performance de uma empresa no futuro. 

Graham mostrou que os indicadores de sucesso de uma empresa poderiam impactar na valorização das ações no futuro. 

Desse modo, sua análise era realizada para traçar os possíveis retornos a longo prazo, ou seja, uma estratégia de um perfil holder é aquele perfil de investidor que compra as ações de empresas para lucrar no futuro.

Como fazer uma análise fundamentalista?

É mais simples do que você imagina fazer uma análise fundamentalista na prática.

Embora existam profissionais qualificados e especializados em análise fundamentalistas, também é possível estudar para executar esse tipo de estudo.

O primeiro ponto a ser analisado é o presente e as expectativas para o futuro das empresas para identificar quais as melhores oportunidades de compra de ações. 

É preciso buscar as informações sobre as empresas listadas na Bolsa de Valores e refletir sobre o futuro dessas companhias. 

Isso quer dizer que será preciso fazer previsões sobre o comportamento dessas empresas a longo prazo, ou seja, se irão performar bem ou não. 

Para fazer a análise fundamentalista, o investidor precisa entender os pontos básicos da sua construção. Veja quais são, a seguir!

Quais são indicadores para realizar a análise fundamentalista

Agora que você sabe o que é, como surgiu e como fazer esse tipo de análise, então é hora de descobrir quais são os principais indicadores fundamentalistas. 

Esses indicadores são dados objetivos que servem para o investidor analisar a qualidade de determinada ação baseado no desempenho que a empresa pode ter no futuro. 

Cada indicador informará os números de uma área da empresa ou do mercado financeiro e, portanto, o investidor precisará entender qual o índice será importante para sua análise. Veja quais são eles:

P/L: Preço / Lucro

O indicador P/L é indicado pela seguinte equação: preço atual de uma ação dividido pelo lucro por ação acumulado em determinado período.

Através do resultado dessa equação, o investidor perceberá a relação do preço da ação com o lucro gerado. 

Portanto, o resultado do Preço/Lucro indica quanto os investidores estão dispostos a pagar pelos lucros gerados pela empresa. 

P/VPA: Preço / Valor Patrimonial

O P/VPA é um indicador fundamentalista que mostra se o preço de uma ação está caro ou barato. 

A equação para chegar ao resultado desse indicador é a seguinte:

Preço de Ativo da empresa negociado na Bolsa / Valor Patrimonial da companhia dividido pelo número total de ações emitidas.

O Valor Patrimonial de uma empresa é encontrado através da seguinte equação: Capital Social – Capital a ser integralizado + Lucro Acumulado = Valor de Patrimônio.

  • Valor Patrimonial: é o resultado da divisão entre o patrimônio líquido e o número de ações emitidas.
  • Patrimônio líquido: é o valor que os sócios ou acionistas têm na empresa em um determinado momento.
  • Capital Social: valor inicial que os sócios ou acionistas investem no momento da abertura de uma empresa.
  • Capital a ser integralizado: valor de uma parcela do Capital Social que um sócio se compromete a contribuir no futuro, mas que ainda não foi colocado na empresa. 
  • Lucro Acumulado: resultado positivo acumulado pela empresa que é considerado reserva de lucros.

DY: Dividend Yield

O Dividend Yield, ou Rendimento de Dividendo, é um indicador fundamentalista que mensura o retorno da ação de acordo com o lucro pago aos acionistas da empresa.

Para fazer o cálculo desse indicador é preciso dividir o valor de dividendos pagos em determinado período pelo valor unitário da ação da empresa e multiplicar por 100. 

O Dividend Yield é utilizado para medir a rentabilidade dos dividendos de uma empresa em relação ao preço de suas ações.

Essa é uma boa opção para investidores que desejam formar renda investindo em empresas que pagam bons dividendos.

ROE: Retorno sobre Investimento

O ROE (Retorno sobre Investimento), ou Return On Equity (em inglês), é o indicador que representa o Retorno Sobre o Patrimônio Líquido de uma empresa.

Veja a equação para encontrar esse indicador: Lucro Líquido ÷ Patrimônio Líquido = ROE.

O ROE serve para fazer comparações de empresas de um mesmo setor ou para realizar uma análise do custo de oportunidade. 

É importante saber que o Lucro Líquido é a receita total que a empresa ganhou após todos os descontos obrigatórios e os custos com a produção.

Já o Patrimônio Líquido, como já dissemos no texto, é o valor da riqueza de uma empresa, ou seja, recursos financeiros internos e os investimentos recebidos. 

Diferenças entre análise fundamentalista e análise gráfica

A análise gráfica, também conhecida como análise técnica, é formada por um conjunto de ferramentas gráficas que analisam o valor e o volume dos ativos das empresas.

Através desse tipo de análise é possível descobrir a tendência de um determinado papel baseando-se no volume, quantidade de ativos disponíveis para negociação na Bolsa e na quantidade de compradores interessados.

A análise técnica utiliza gráficos e tendências de oferta e demanda, portanto, uma opção ideal para quem realiza operações de Day Trade (curto prazo).

Sendo assim, podemos citar as principais diferenças entre elas: enquanto a análise técnica analisa o movimento dos preços nos gráficos, a análise fundamentalista analisa o balanço, saúde e governança das empresas. 

Se a análise técnica usa os indicadores dos padrões gráficos e indicadores estáticos, a análise fundamentalista usa as receitas, despesas e balanço como seus indicadores. 

Por último, a principal diferença: análise técnica é uma opção para quem busca retornos em curtos prazos, já a análise fundamentalista é para quem deseja investir a longo prazo.

Continue buscando conhecimento

A princípio, a análise fundamentalista pode assustar os investidores, principalmente os iniciantes. 

Porém, ao se familiarizar com o assunto através de estudos é possível avaliar uma empresa que possui ações na Bolsa através do seu estudo pela análise fundamentalista.

Lembre-se que esse tipo de análise é fundamental para quem está procurando investimentos para longos prazos. 

Se você está buscando opções de investimentos que podem se valorizar e trazer melhores retornos no futuro, então utilize a análise fundamentalista.

Gostou de saber o que é a análise fundamentalista? Continue estudando mais sobre o assunto e aproveite para ler outros conteúdos através da nossa newsletter.

Posts relacionados

Deixe um comentário